27 de fev de 2016

Até que ela chega...

 Ele pode chegar em casa cansado.
Jogar suas roupas pelo chão do quarto
E se jogar no sofá com aquela cara de acabado.
Até que ela chega!
Como uma ventania grita atenção e fala como uma doida
Conta como foi seu dia.
Ele fica entre um “uhum” e outro.
Entre uma risada e outra.
Mas como em um sonho
Ele está com olhos e ouvidos bem atentos
A ouve como um menininho ouvindo uma história
De uma heroína que salvou a cidade
E ainda lembrou de passar no mercado
Para comprar o iogurte predileto dele
Ela é mulher!!.
— Por isso é que eu Prefiro as Borboletas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode Comentar à votade